quinta-feira, julho 28, 2011

Caminho Português a Santiago de Compostela

Caminho Português a Santiago de Compostela. (Amarante - Santiago de Compostela)

Em 2003 iniciou-se a ''conquista'' dos Caminhos de Santiago, e como não podia deixar de ser, o primeiro foi o Caminho Português a Santiago saindo de Amarante. Existem várias possibilidades, sendo que a mais concorrida nos dias de hoje é com saída do Porto.


No final dos anos 90 os Caminhos de Santiago eram ainda muito pouco frequentados pelos Portugueses. Nessa a altura a informação era escassa, trabalhava-se com cartas militares ou roadbooks e seguir o caminho era muito mais que uma simples viagem até Santiago, era uma aventura.Tudo começou com uma simples placa à saída de Amarante azul e Amarela que dizia ''Caminho de Santiago''. Nessa altura informei-me sobre o que queria aquilo dizer...eis que me dizem que existe um caminho até Santiago de Compostela que mistura estrada com trilhos que passa em Amarante.


Algum tempo a ''cozinhar'' a ideia, a analisar quais as possibilidades e capacidades de chegar a Santiago...tentar convencer amigos e a escolher a melhor altura para o fazer. A minha bike de então era uma Mountain Cycle Tremor FR1, um bicho raro! Uma bike de Freeride com uma configuração de Cross- Country, avanço de 110mm, guiador low rise e pneus semi-slicks...já o peso era de uma bicicleta de downhill, os quase 20kg obrigavam-me a estar em forma! Muitas foram as viagens Amarante - Porto e Porto - Amarante nesta bicicleta na altura para ir para ISEP. Ainda guardo esta bicicleta na minha garagem que tem tantas historias que irei partilhar mais tarde.


A altura escolhida foram as mini férias do Carnaval de 2003 pois pensei eu que 3 dias chegam e sobravam para fazer Amarante - Santiago de Compostela, cerca de 300km. Neste primeiro registo fui apenas eu e o Rafael Moura, ao escolhermos esta altura arriscávamos a apanhar com os rigores do inverno...por isso houve chuva, frio e lama com fartura...
Saída de Amarante, passagem por Guimarães, Braga e Ponte de Lima. O primeiro dia estava feito e sempre em estrada. Depois de Ponte de Lima o caso mudou de figura, vieram os trilhos a sério, a Serra de Labruge, Valença, a passagem pelo Rio Minho, Tui, Porriño e Redondela onde acabamos o segundo dia. Aqui encontramo-nos com um grupo de Barcelos e fomos até Santiago com eles. Com a entrada em Espanha encontramos melhores marcações e melhores condições para os peregrinos. Em Redondela ficamos num albergue que tinha sido inaugurado há pouco tempo, com todas as condições que os peregrinos precisam. O terceiro dia passou por Pontvedra, Caldas dos Reis e Padrón onde novamente ficamos num albergue para peregrinos. Daí até Santiago são cerca de 30km rápidos e que ainda mais rápidos se tornam na ânsia de entrar na imponente Praça do Obradoiro com a imponente Catedral, o Paço de Raxoi e o Hostal dos Reis Católicos. 
Esta primeira ida a Santiago foi como ''abrir caminho'' para em Setembro voltar, mas desta feita com os BTTâmega. Não houve registo fotográfico em Fevereiro, mas em Setembro a historia não se voltou a repetir... Talvez tenha sido o passeio que já participei que melhor ambiente teve...que saudades desses tempos...BTTâmega para sempre! 

Recordo com saudade a :
  • A saída de Amarante até foi abençoada pelo Padre em pleno mosteiro de S. Gonçalo
  • A tentativa de fazer o jantar no albergue em Ponte de Lima, o frango ficou cru e a massa empapada
  • A actuação do Navega no albergue em Redondela que encantou toda a gente e a mim me fez soltar uma lágrima
  • As corridas em tronco nu em Padrón  durante a noite
  • A chegada a Santiago e a brincadeira que lá se fez na Praça do Obradoiro
 


Se quiserem ler sobre a Via da Prata que liga Sevilha a Santiago, é só clicar aqui. O Caminho Francês será o tema do próximo ''episódio''. 

Informação minha sobre os restantes caminhos:
Online também encontram muita informação sobre os vários caminhos existentes :

Buen Camiño!

8 comentários :

  1. Os caminhos de Santiago para quem gosta de andar de bike são um sonho.recomendo.

    ResponderEliminar
  2. O meu sonho é fazer os caminhos franceses. Talvez um dia quando for reformado.eheh.Roberto Rocha

    ResponderEliminar
  3. Olá,
    O Caminho deixa-nos muita saudade... pois acho que tem algo que de místico e de aventura que "mexe" profundamente connosco!
    O Caminho é também lugar de encontro.
    Muitas vezes com nós próprios.
    Faz-nos experimentar muitas emoções e sentires diferentes, que não experimentamos em mais nenhum trilho.
    É talvez por isso que somos impelidos a voltar lá ano após ano e a experimentar todas as rotas conhecidas.

    Recomendo sem qualquer dúvida.

    JCR

    ResponderEliminar
  4. Obrigado pelo excelente relato.
    Seria possível fazer upload do .gpx de novo?pois encontra se offline.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá. O melhor será enviar um email para joao.marinho@nexplore.pt que eu terei todo o gosto enviar o track .gpx
      Bom caminho

      Eliminar
  5. Olá João,
    Inspirador para quem vai iniciar o caminho na primeira semana de Julho.
    Vou fazer nas calmas, de bicicleta, 50kms por dia.
    Um abraço,
    A.Mota

    ResponderEliminar
  6. Nice blog, thank for sharing your information

    ResponderEliminar

João Marinho
Mountain biker, trail runner & adventure sports addict