domingo, dezembro 30, 2012

S. Silvestre de Santo Tirso



Depois da S. Silvestre do Porto e Vila Real procurei uma outra prova onde pudesse tentar baixar do minuto 35 aos 10km. As expectativas eram boas até que ao dia anterior ter apanhado uma constipação que me complicou os planos. Febre, tosse, dor de garganta, tudo aquilo que ‘’precisava’’ para a ultima corrida do ano. Durante a tarde, ponderei seriamente se iria mesmo participar, mas pensei, são só 10km, ''faz-se bem''. 



O numeroso grupo de 21 pessoas da A.D.A. (Associação Desportiva de Amarante) marcou presença, não só com elementos do Trail Run como do atletismo. Este grupo cresce de dia para dia, com todos os novos elementos a assimilarem rapidamente o espírito de companheirismo e diversão. Pessoas que nunca correram na vida estão agora motivadas para não só correr 10km, mas também participar em outras provas mais longas e exigentes. 



Com a hora de partida marcada para as 17h o aquecimento fez 30min antes. Mas com a temperatura a baixar rapidamente, associado ao atraso das corridas anteriores, fez com que eu fizesse o aquecimento junto a uma simpática vendedora de castanhas. Estava arrepiado de frio e sem hora de partida confirmada, ali fiquei até às 17.45h! Com uma nuvem negra a pairar pela cidade, assim que alinhamos uns minutos antes de partir, começou a chover. Estivemos ali 5min parados com a chuva a cair impiedosamente e com todos os participantes a manifestarem-se. Não foi agradável!

O percurso era de ida e volta, ou seja, 5km num sentido e 5km noutro. Nada de muito complicado a nível de subidas, mas a complicação surgiu em algumas partes em que não havia qualquer iluminação. Era escuro que nem breu obrigado a uma atenção redobrada.


Sendo uma incógnita como o meu organismo iria reagir, parti como sempre, a fundo. Não tinha a noção que tinha tanta gente à minha frente sendo que o primeiro km foi uma corrida de obstáculos a tentar posicionar-me. Depressa comecei a sentir a respiração ofegante, apesar das pernas a querem puxar mais…aquela sensação de sangue na boca aumentou ainda mais o sofrimento e tive de me aguentar sem aumentar o ritmo. Estava a correr com um pace de 3.40min por km, não era mau, mas não iria dar para baixar dos 35min. Quando cheguei ao ponto de viragem, no caminho de regresso recebi inúmeros incentivos dos restantes elementos da ADA. Eu ouvia e via as pessoas, mas ia num sofrimento tal que não conseguia sequer responder ou esboçar um gesto. Estas palavras deram-me uma força extra e conseguir forçar um pouco mais o ritmo. Passei o arco de meta com o cronómetro a marcar 36min o que apesar de não ter conseguido o meu objectivo, fiquei feliz com o meu tempo dadas as circunstâncias. Como se diz, há mais marés que marinheiros…

Os dados do Suunto foram:
Distância percorrida: 10.03km
Tempo decorrido : 36.07min
Velocidade média : 16.67km\h
Velocidade máxima: 21.60km\h
Acumulado de Subida : 101m
Acumulado de Descida: 107m
Batimento cardíaco médio: Não contabilizado
Batimento cardíaco máximo: Não contabilizado


Saliento o facto de pela primeira vez ter o meu irmão e o meu sobrinho a correrem comigo. Obrigado pela companhia! Outra coisa que já é normal encontrar nestas andanças são amigos do mundo das bicicletas. Mais uma vez conversei com muita gente que normalmente encontro de capacete e lycra. Correr é de facto um excelente complemento ao pedal, mais ainda nesta fase de pré-época. 


Depressa trocamos de roupa e fomos para a padaria mais próxima para recuperar as calorias perdidas. Percebi então que dentro do grupo houve quem encarasse a prova de diversas maneiras. Se alguns foram para bater o record pessoal, outros foram para conviver e conversar, outros apenas para chegar ao fim. O importante foi que toda a gente se divertiu e ficou com vontade de repetir. 

 
O final da noite incluiu uma saída pela noite portuense. Confesso que já tinha saudades de sair nesta cidade. Foi uma noitada com muita risada, onde ficamos a conhecer-nos um pouco mais, ao sabor de uns copos de sangria. Vinho tinto, antioxidante, um bom recuperador portanto!


Com esta prova encerro o ano desportivo da melhor maneira. Vários momentos que ficam na memória, não apenas pelos resultados, mas pelas experiências vividas.  Agradeço a todos os que de certa forma contribuíram para que estes resultados e experiências fossem possíveis. Estou imensamente grato. Obrigado e bom ano!

7 comentários :

  1. Foi realmente um dia fantástico. Muito convívio, companheirismo e diversão. Muitos parabéns João, pela tua imensa força de superação. Mesmo doente, foste espetacular!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelas palavras Elisabete. O convívio foi impec! Bom ano!

      Eliminar
  2. Valter Marinho11:10 da tarde

    Será sempre um privilégio "começar" a correr ao teu lado tio. Orgulho de familia e que deixas no terreno tudo o que podes, e neste caso, não podias dar.

    É do Gazom :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado sobrinho! É sempre a bombiar :)

      Eliminar
  3. Parabéns moreco! Vc é mutante até gripado! Love u

    ResponderEliminar
  4. Vitor Ribeiro9:22 da tarde

    És grande pelo modo que encaras o desporto!!, foi pena eu não poder ter ido, com a experiência que tenho no atletismo digo-te que baixas de caras os 35m... A nossa história não acabou João, a promessa está pé!!, deixa-me "voltar" a ser eu e falaremos, entretanto pensa na prova que falamos para março...

    Um grande abraço e obrigado ...

    Vitor Ribeiro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelas palavras Vitor! Eu acredito que irei baixar dos 35min algum dia :) Sobre a prova, estou mesmo a ponderar participar. Um abraço e bom ano!

      Eliminar

João Marinho
Mountain biker, trail runner & adventure sports addict