sexta-feira, abril 26, 2013

Mountain Quest 2013 - Test Ride

Escrever sobre o Mountain Quest é tentar traduzir em palavras uma viagem de 180Km com 6 000m de desnível positivo ao longo de três místicas serras, Aboboreira, Marão e Alvão, num único e intenso dia de BTT.

A saída por volta das 05.00h traduz-se em romper os primeiros kms em plena escuridão. Soltam-se gargalhadas, ouvem-se os padeiros e os mais madrugadores começam a sua labuta. A silhuetas das montanhas formam-se no nosso horizonte, estimulando o nosso imaginário. 




Serra da Aboboreira 

Assim que passamos a ponte sobre o Rio Ovelha, começa a primeira grande subida do dia para a Serra da Aboboreira. São 10km com uma inclinação média de 10% com um piso dividido entre o asfalto e o estradão. Quase no alto da serra, a isolada povoação de Aldeia Velha tem um privilegiado terraço para as Terras do Baixo Tâmega. De lá conseguimos alcançar na nossa vista, Amarante, Marco de Canavezes, Penafiel, Lixa, Celorico de Basto.

O sol diz-nos ''Bom Dia'' já nós estamos junto à capela da Sra. da Guia aos 1 000m de altitude. Dobramos a serra, e somos contemplados com o Alto Douro, com a Serra de Montemuro, Baião, Cinfães, Resende. Os nossos olhos brilham reflectindo o intensa luz do amanhecer. O vento faz o nosso corpo gelar. Os dedos das mãos ficam dormentes e os pés trôpegos de tanto frio que estava. Parámos, protegemo-nos do vento e ficamos uns minutos em fotossíntese tentando que o sangue quente irrigasse as extremidades do nosso corpo.

Brindei os meus companheiros de pedalada com uma nova subida para um altiplano na Serra da Aboboreira, um pouco antes de concluirmos esta serra. Em ''apenas'' 30km o GPS assinalava 1850m de acumulado positivo em 3.30h. O Alto de Quintela é a separação natural entre a Serra da Aboboreira e a Serra do Marão. A quando das invasões francesas, foi neste local que as tropas do general Loison foram travadas por corajosos populares,que munidos de tudo o que tinham se impuseram e obrigaram à retirada dos invasores. Aqui encontramos um monumento em granito que orgulhosamente tem escrito ''POR AQUI NÃO PASSARAM''.

 


Serra do Marão

Entramos na monumental Serra do Marão, inspiração de poetas como Miguel Torga e Teixeira de Pascoaes. A recôndita e singela aldeia de Mafomedes é a única povoação antes de ''mergulharmos'' na serra em direcção à Aldeia de Ferraria, já do outro lado da encosta. Subimos e continuamos a subir em direcção ao parque eólico de Teixeira. As escarpas do Marão contrastam com as vinhas das encostas do Alto Douro vinhateiro, património da Humanidade. Sem qualquer pingo de modéstia escrevo que  este visual é talvez o mais bonito que os meus olhos puderam alcançar.

A descida alucinante para Ferraria está (ainda mais) pejada de pedras, sulcos e outros ''picantes  '', o que a torna num teste aos nossos dotes técnicos e à nossa capacidade de sofrimentos nos braços e costas.
O visual ''deste lado'' da serra altera-se, talvez fruto de ter uma maior exposição solar, a vegetação está mais luxuriante. Sentimos o aroma da urze e do rosmaninho, as vibrantes flores amarelas das giestas pintam as encostas. A moldura tem o enquadramento perfeito.

Paragem obrigatória no café da Dona Laurinda para as tão aguardadas sandes de presunto e queijo feitas com broa de milho caseira. O GPS assinala 53,6km, 2 700m de acumulado positivo em aproximadamente 5h. O corpo por alguns minutos tem o merecido descanso. Já deixamos a Dona Laurinda de sobre aviso para dia 22 de Junho. O Mountain Quest vai certamente trazer clientela a este pacato café.

Timidamente começamos a grande subida do dia, 9km com inclinação média de 11% que nos leva da aldeia de Ferraria ao alto da Serra do Marão. Os primeiros kms são verdadeiramente assustadores, chegamos a ultrapassar os 30% de inclinação! Até passarmos a aldeia de Ermida, a subida não dá descanso. O nosso peito vai colado ao avanço o tempo todo.

Com paciência e perseverança subimos a encosta do Marão. Ganhamos altitude e ganhamos também uma vista deslumbrante para o imponente maciço granítico. A Serra do Marão é a sexta maior de Portugal. Uma serra que pelas suas características naturais impôs um atraso no desenvolvimento a Trás-os-montes.


Quase a chegar ao alto, estando literalmente ''imersos'' em pedra, ironicamente somos brindados com um troço em asfalto. Esta benece é fortemente agradecida pelas nossas já fatigadas pernas. O GPS marca quase 1 400m, estamos nas míticas Antenas do Marão. 
Miguel Torga não a podia descrever melhor: ''Do meu Marão nativo abrange‑se Portugal, e, de Portugal, abrange‑se o mundo.'' 
Conseguimos ter uma vista de 360º que nos permite ver Serras tão distantes como a Serra da Estrela, Serra do Gerês, Serra da Cabreira, Serra de Montemuro, entre outras. Em ''apenas'' 64km vencemos 3 643m de acumulado positivo.

Seguimos em direcção ao Alto de Espinho, onde a IP4 e a antiga N15 dobram a Serra do Marão. Poucas centenas de metros depois, chegamos ao ponto onde os quem tiver possibilidades físicas e mentais poderá optar por continuar rumo à Serra do Alvão, ou então ser consciente e descer para Amarante. Este ponto é sensivelmente ao km 75 e que nós necessitamos de quase 7h (a andar) para o alcançar. 
Quem optar por continuar é de imediato desafiado por um corta-fogo rumo ao parque eólico de Pena Suar.
 





Serra do Alvão

O Alto de Velão, separa a Serra do Marão da Serra do Alvão. Cruzamos a N304 e estamos entregues à ultima serra do dia. Um largo caminho em terra batida serpenteia a serra, que nos permite contemplar o verdejante Vale da Campeã. A inclinação que se pode dizer ''suave'' dá-nos margem para recuperar o fôlego. 

Até chegarmos à albufeira de Lamas D'Olo, contornamos os amontoados de pedra de ambos os lados do caminho. É um trilho realmente divertido. A Dona Gina está à nossa espera na tão aguardada Cabana com telhado de palha perdida num frondoso bosque. Obviamente que paramos e abastecemos, o GPS marca já 96Km e 4 327m de acumulado positivo. 
Houve tempo para conhecer a Luciana, a neta da Dona Gina que saltou para os meus braços e pousou para a foto.

Seguimos em direcção ao planalto da Serra do Alvão. Para mim uma das partes mais bonitas do percurso. O ondulante caminho permite-nos aumentar o ritmo e ao mesmo tempo apreciar o horizonte. Vila Real e Vila Pouco de Aguiar estão ali no fundo da Serra. Parece que estamos fora da atmosfera. Este estradão é salpicado com uma outra picada técnica, mas que depressa são ultrapassadas. 

A Sra da Graça aproxima-se. Descemos um vertiginoso degrau natural em direcção à aldeia de Covelo. Entramos num bosque que ainda mantém a típica mata Portuguesa e que depressa nos leva à estrada que sobe o Monte Farinha.

Do alto da Sra da Graça conseguimos visualizar as Serras que percorremos, é uma visão impressionante, arrepiante e que por momentos nos remete à introspecção. O amigo Manel veio ao nosso encontro e trouxe com ele as deliciosas brouinhas de milho...mnham mnham mnham...

O GPS assinala já 132.5Km, 5 181m de acumulado positivo e quase 10h a pedalar.

A descida é feita por estrada até à pista de aterragem do para-pente. São 8Km onde atingimos facilmente velocidades superiores a 60km. 
Quando passamos uma pequena ponte sobre o Rio Cabril, enfrentamos a ultima subida do dia digna de registo. As forças começam a falhar, é preciso ter calma e concentração para manter o equilíbrio. 
Daí em diante o caminho florestal de Paradança pode-se considerar uma auto-estrada até à Aldeia de Fridão. Aqui entramos em alfalto e não mais o largamos até a Amarante. São 13km que nos fazem pensar em todo o caminho efectuado, nos momentos vividos e na jornada épica realizada.

Chegar ao centro histórico da cidade é um momento regozijante e emocionante. 



Agradecimentos
Termino agradecendo aos amigos que partilharam comigo mais esta experiência: Paulo, Navega, Ismael, Jaime e Luís. Independentemente dos kms efectuados, viveram comigo mais um dia épico!


Podem ler mais sobre o Mountain Quest aqui:

Mountain Quest Verão 2012
Mountain Quest Inverno 2012
Mountain Quest Inverno 2011

Get ready to Redefine Limits!



MOUNTAIN QUEST 2013 - PROMO VÍDEO - RE-EDIT



Acompanhem o MQ no Facebook: http://www.facebook.com/bikemountainquest 

Sem comentários :

Publicar um comentário

João Marinho
Mountain biker, trail runner & adventure sports addict