quarta-feira, janeiro 23, 2013

TransAndes Dia 3



O meu corpo teima em não responder do jeito que normalmente responde numa prova por etapas. Eu aperto comigo, a pulsação dispara mas as pernas não debitam a potência e a cadência que eu preciso para me bater com o meu adversário mais directo, Javier. Vim a descobrir que afinal ele é nativo, já várias vezes a TransAndes e é o actual campeão nacional de Maratonas do Chile. 

Antes de falar de hoje, tenho de voltar ao dia de ontem. Tanto eu como o Tiago tivemos problemas mecânicos. Supostamente trocar um guiador seria algo simples…mas acontece que o guiador que ele arranjou é sobre-elevado e os cabos estavam curtos. Os escassos recursos dos mecânicos que dão assistência à prova resultou num stress que só terminou depois das 22.30h.
Trocar um raio também é coisa que normalmente é simples…se houver outro raio igual. Acho que arranjei todos os raios menos aquele que precisava! A salvação veio de um americano que me cedeu a sua roda com um pneu tipo tractor (amanhã coloco foto) mas estava nem aí. Com ajuda do mecânico da Shimano resolvi o meu às 22h!

 
A etapa de hoje supostamente consistia em subir o Vulcão Villarica e depois descer até à meta. Parte confirmou-se, outra parte reservou-nos algumas surpresas. No Chile as estradas secundárias são estradas com gravilha onde os carros passam como se estivessem em alcatrão. Cerca de 80% da etapa foi neste tipo de piso. Sabia que me tinha de proteger dos ataques iniciais e eu mesmo impus o ritmo na primeira subida. O pelotão partiu-se e na estrada para a principal subida do dia estava eu, o Tiago e o Javier. Esta etapa é uma clássica da TransAndes, que se tem mantido igual ao longo das 5 edições da prova. Com a preciosa ajuda do Tiago o Javier apenas fugiu quando faltavam ‘’apenas’’ 6km para terminar a subida do Vulcão. Depois iniciou-se a longa e vertiginosa descida, inicialmente em trilho técnico com raízes, drops, regos, mas o mais perigoso foi mesmo outros ciclistas na direcção contrária. 

Com o cuidado possível desci o mais depressa que pude tentando ganhar tempo para o Javier. A parte técnica terminou depressa e deu lugar ao típico estradão do Chile. O Tiago afastou-se um pouco de mim no início por causa do pó e até à meta não conseguimos mais trabalhar em equipa. Estava num dilema, se continuava no meu ritmo ou se esperava pelo Tiago. Olhava para trás e nas retas mais longas conseguia vê-lo, mas não podia\devia abrandar porque estávamos a descer muito rápido, ás vezes acima dos 60km\h. Pensei quando houvesse uma parte mais plana ele conseguisse alcançar-me. O 2º abastecimento a meio desta descida que eu optei por não parar e o Tiago parou, ditou a separação até ao final. 

Cortei a meta com cerca de 5min de diferença para o Javier e com uma vantagem de 1min para o Tiago. Agora a minha vantagem é de 19min e o Tiago consolidou o 3º lugar que à partida para esta etapa estava cifrado em apenas 1s!

A Rita chegou novamente em 3º fresquinha que nem uma alface. Que inveja! 

O ponto alto desta etapa foi a passagem pelo Parque Nacional do Vulcão Villarica onde fomos recebidos por uma espectacular floresta de Araucárias centenárias. Esta floresta fazia lembrar o Parque Jurássico! A cinza vulcânica aparecia aqui alí lembrando-nos que estávamos junto ao mais alto Vulcão do Chile e que está em actividade. Amanhã a etapa tem o mesmo ponto de partida e chegada que é o lugar onde estamos – Menetúe. Segundo ouvi, trata-se da etapa rainha da prova por ser a mais longa, a mais técnica e a mais exigente fisicamente. Algo que me agrada à partida!


Não me canso de agradecer os vossos watts extra que tem sido tão importantes e agora que a prova entra na derradeira 2ª metade, mais ainda! 

Podem ver mais fotos na minha página de atleta no Facebook:

Ride & Smile

14 comentários :

  1. Força João!! Agora é ganir até ao fim!! ehehe

    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. joão se o Javier é nativo tu és de Amarante carago, diz-lhe isso ao ouvido, vais ver que fica cheio de medo....lol...luta, luta, camarada luta...

    ResponderEliminar
  3. Metade já se foi portuga. Agora senta a pua !!!

    ResponderEliminar
  4. Força grande João. Vais agradecer às serras do DOuro as horas que lá "sofreste" .

    ResponderEliminar
  5. Mais uma realizada...Não deixes o Javier "roubar-te" o lugar pah :) pedala como se não houvesse amanhã :P

    ResponderEliminar
  6. Força amigo agora é so apertares mais um bocadinho e tirares o mérito a esse nativo, para ele ver do que são feitos os Amarantinos. Um grande abraço. Estou ca todos os dias a acompanhar-te.

    ResponderEliminar
  7. Campeão, acredito que as pernas irão responder no momento oportuno.
    Dá para entender que tens adversário à altura e tu gostas disso!!!
    Tem cuidado e lembra-te que não tens que provar nada!
    Abraço

    ResponderEliminar
  8. A super torcida:1:53 da manhã

    Kct!!! Soca a bota português e pega esse chileno!
    Boa prova amanha!!! Estamos mandando muitas ondas energéticas!
    Ride & Smile <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tentando super torcida kct putz grilo kaputa!
      <3

      Eliminar
  9. ca puta... sempre de roda no ar, sempre a pedalar, ele é o Joao Marinho, ele é o nosso orgulho... força Jony...

    abraço

    Sergio Pinho

    ResponderEliminar
  10. Ah Ganda João! Sempre a fundo! :)

    ResponderEliminar

João Marinho
Mountain biker, trail runner & adventure sports addict